Follow by Email

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Eu vi!

Sem a coordenação de nenhum partido e nem emissora de televisão, vi jovens se organizarem pelas mídias sociais e exigirem um basta!
Milhões de pessoas foram as ruas em todos os estados.
A principal reivindicação era a redução do valor da passagem mas outros gritos se fizeram necessários: a queda da PEC 37, o repúdio à corrupção, a exigência de melhorias imediatas na saúde, educação e segurança. 
Lotamos as ruas, as mídias sociais e cada um a sua forma, buscou a revolução em um grito uníssono: QUEREMOS UM BRASIL MELHOR!

O grito não pôde ser contido e nem ignorado.
Veículos de informação de massa tentaram denegrir a motivação das manifestações mas tiveram que  respeitar e reconhecer o que estava acontecendo.
Ao contrário do FORA COLLOR (eu era criança ainda), desta vez eles não estavam no controle e agora, a comunicação não é mais ditada apenas pelo que eles transmitem.

Agora a população acordou e se deu conta do poder que tem.
Talvez, os jovens tenham se dado conta de que a globalização não serviu apenas para estimular o consumo voraz.
As mídias sociais tem um poder absurdo e a mobilização que ela possibilitou transformou a população de espectadora à protagonista de um dos movimentos mais lindos que já vi.

Lindo mas com outras facetas e cenários nem tão positivos.
Em determinado momento, a ausência de liderança política fez pesar a falta de diretriz do movimento.
Pressionados pela opinião popular, o aumento das passagens foi cancelado.
A PEC 37 foi cancelada.
Ações de vandalismo tomaram conta das cidades. Patrimônios públicos foram destruídos e a população começou a se questionar.
Em resposta, muita violência por parte do Estado.
Pessoas feridas, gás, spray de pimenta, cacetete, tiros de borracha pra cima da população indistintamente, colocando cidadãos e vândalos na mesma mira.

A pauta é clara: queremos um Brasil melhor mas ainda nos falta a consciência de classe!
Precisamos reunir todas pautas sociais e exigir mudança não apenas no tocante as nossas necessidades e sim ao que nos torna frágil e atrasado como sociedade.
Reunir a pauta dos negros, dos índios, da população em situação de rua, dos drogaditos, dos gays e até daquele policial que jogou spray de pimenta em uma jovem desarmada.

O que nos fragiliza é uma força tão hegemônica e perversa que mesmo implicitamente esmaga quem não se percebe oprimido.
Não basta querer um movimento anti partidário pois muitas vozes falando ao mesmo tempo torna a reivindicação inaudível.
Qual a pauta a ser apresentada? Quais são as propostas? Quem vai representar e ocupar mesa de negociação? Muitas perguntas sem respostas.....

Dizem que o gigante acordou. Talvez. Eu vi uma sociedade se questionar pela primeira vez e sair as ruas não para curtir o Carnaval mas para lutar por direitos.

Tudo isso em plena Copa das Confederações e com os olhares do mundo sobre o Brasil.
Vi a presidente ser vaiada na abertura da Copa.
Vi noticiários tendo que dar mais enfoque as manifestações do que a Copa.
Vi pessoas dizendo que recuperaram o orgulho de ser Brasileiro!
Vi o Tetra Campeonato do Brasil na Copa das Confederações.
Vi meu filho gritar GOL DO BRASIL e vibrar com a camisa da seleção.

Eu vi tudo isso e tenho certeza que tudo que vi, entrará para a história.



 


terça-feira, 14 de maio de 2013

domingo, 5 de maio de 2013

3 aninhos!

3 aninhos!
Passou bem rápido. Este ano, comemoramos em duas etapas. A primeira, em casa com os amigos e familiares mais próximos e a segunda, em uma casa de festas.

17/04: Consegui uma folga especial no trabalho e passei o dia com o Jovi.
Foi um dia bem gostoso. Ficamos grudados o tempo inteiro e para variar, Jovi participou de todos os detalhes e preparativos.
O engraçado era que quando eu falava que era aniversário dele, ele dizia que não, que o aniversário era só no sábado...rs
A tarde consegui fazê-lo dormir e foi nesta hora que o bolo e doces chegaram e eu consegui terminar a mini decoração que bolei para alegrar a casa e dar o 'climinha' de festa.
Quando João Victor acordou, foi a coisa mais linda! Levei-o até a sala e ele sorria, gritava, dizendo 'minha festa, minha festa'.
Ele observava cada detalhe e não cansava de sorrir e demonstrar o quanto estava feliz.
À noite, recebeu os amiguinhos e curtiu a presença de todos.
Fazer uma festa em casa, mesmo que pequena dá um trabalhão danado. São fornecedores diferentes para cada serviço, logística de entrega, decoração do espaço, enfim, uma canseira imensa mas que é super recompensada quando a criança curte e até pede a festa - que é caso do João Victor.
Todo ano digo que não farei nada, mas aí a data vai se aproximando, ele falando no assunto e encasquetando com um tema. Quando vejo, a coisa vai tomando uma proporção inesperada e vira festa, rs

20/04: Festa no João Victor na Casa de Festas.
Nada de inovador ou diferente. Fazer festa infantil em Casa de Festas é uma enorme comodidade mas também dá a sensação de ambiente impessoal e frio. Por mais que você invente uma coisa ou outra para tentar personalizar o evento, não dá: é sempre cara de pacotão!
Enfim, Jovi esta cada vez mais independente e curtindo estes brinquedos mirabolantes. Escolhi fazer a comemoração em uma Casa de Festas justamente por este motivo, agradar o Jovi com estes brinquedos já que pula pula já não faz mais tanto sucesso com ele.
A festa foi bem agradável e ele brincou muito!!! Curtiu também a presença dos amigos, em especial os da escola e foram 4 horas frenéticas.
O tema foi a Casa do Mickey, personagem que tem feito bastante sucesso com ele.
Agora estou mega ansiosa para ver as fotos e guardar esta deliciosa lembrança desta fase.

Nas fotos, a comemoração da primeira festinha.



quarta-feira, 3 de abril de 2013

Das coisas que me irritam:

Parece piegas mas é mesmo assim: fale de mim que te darei um fora, fale do meu filho que quebrarei seus dentes!
Poxa vida, que mania que as pessoas tem de se incomodar com o que não as diz respeito!
Sim, meu filho chupa chupeta.
Sim, me incomodo com isso.
Sim, tirarei a chupeta quando EU perceber que ele esta pronto para esta ruptura.
Sim, ele pode ter que usar aparelho e Sim eu trabalho e posso pagar o ortodontista.
SIM, VC NÃO TEM NADA HAVER COM ISSO E NÃO PEDI SUA OPINIÃO!


Ai, mais aliviada!
E aos poucos que me leêm: Se ninguém pedir sua opinião, NÃO DÊ!!!

terça-feira, 2 de abril de 2013

Páscoa 2013

O tempo passa, o tempo voa a Páscoa já foi e de repente, já estamos próximos ao aniversário do Jovi.
Como já esta se tornando rotina, preferimos nesta Páscoa ficar reunidos em casa. 
Escondi os ovos de Páscoa do Jovi, preparei um almoço delicioso e ficamos curtindo cada momento.
Logo que acordou, falamos para o João Victor que tínhamos recebido a visita do colhinho durante a noite e que tínhamos que verificar se ele tinha deixado ovos.
Começou então a Caça aos Ovos!
Escondemos dois ovos em locais pouco convencionais e ele adorou procurá-los.
Uma delícia realizar esta brincadeira e perceber como ele curte esta fantasia. Pretendemos cultivar esta esfera de sonho, fantasia ainda por alguns anos, mesmo sabendo que, a qualquer momento pode surgir um 'espírito de porco' que vai apresentar a realidade dura do mundo dos adultos...

O dia transcorreu tranquilo e a tarde foi reservada para que Jovi pudesse entregar aos priminhos os ovinhos que o coleho deixou por engano na nossa casa.

Dia perfeito, mais um.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Carnaval 2013

Então é Carnaval!!!! Não, não... já foi Carnaval!!!
Esta é uma época do ano que amo demais e me vanglorio de ter um Carnaval muito mais animado hoje do que na minha época de solteira.
Isso por que antes do Jovi nascer, meu Carnaval se resumia a ir para a Região dos Lagos e curtir praia, praia, praia. Naquela época, este era o ápice e não havia tanto investimento no Canaval de rua como temos hoje em dia.
Detestava local cheio e por isso, fugia de ensaios de escola de samba e bailes afins.
Mas..... nada que a maternidade também não modificasse!!! Hoje, meu Carnaval é intensamente vivido e é mais uma época que planejo tudo para propiciar ao Jovi o máximo de experiências.
Escolho as fantasias (sim, não duas para dar conta de tanto evento), procuro informações sobres os blocos, bailinhos e todas as atividades voltadas para crianças neste período.
Neste ano, saimos mais uma vez no bloco Amigos da Esquina, fomos ao Baile Infantil do Rei do Bacalhau, fomos a praia e acompanhamos o bloco AfroRaggae, teve almoço com piscina na casa da titia e passeios mil.
O resultado é sempre o mesmo: Jovi cansado, feliz e eu com a sensação de dever cumprido. Penso imediatamente na minha avó e toda sua peregrinação para comprar minha fantasia, me maquiar.... quero que meu filho guarde na sua caixinha preta recordações doces desta fase, porque isso, é o que fica!!!
Bjo, me liga!

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Pedaço meu...

Filho é a coisa mais linda, mais tua que existe na vida.
Vejo nas pirraças do meu, os meus próprios trejeitos.
Me espanta a necessidade de tudo ter, literalmente,  um por que.
As indagações, a percepção de quando mudo a fisionomia, o jeito carinhoso de me dobrar.
Vejo-o dormir e ele oscila entre a minha posição e a que o pai dorme.
E o mais o mais lindo, que me encanta e me toca, é a repetição da minha história: filha de uma mãe que sempre trabalhou fora e muito, sempre que eu sentia saudades, procurava a camisola da minha mãe e cheirava. Dava uma sensação de aconchego, acolhimento, de proximidade e proteção....
O Jovi faz o mesmo, só que prefere meu sutiã....

Jovi <3 meu amor mais que tudo!!!