Follow by Email

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Cama compartilhada, amores e dissabores

A maioria das mulheres antes de ser mãe tece uma grande variedade de teorias e é especialista em emitir opiniões a respeito da criação dos filhos alheios.
Assim sendo, não fugi a regra e hoje com um filhote de um ano e três meses, minha cara é atingida quase que diariamente pelos cuspes que lancei acima da minha cabeça.
Um deles, refere-se a tal cama compartilhada.
Sempre pensei, e na verdade tentei, que meu filho dormisse em seu berço desde a saída da maternidade. Acredito que um casal precisa de privacidade, conforto e que manter um filho na sua cama não seria um ato lá muito saudável.
Para colocar a façanha em prática, montamos o quarto do João Victor e no nosso quarto, colocamos um berço desmontável (estilo camping), que na minha idéia, funcionaria até o bebê completar um ano e daí, ele passaria a dormir em seu próprio quarto.
Tudo funcionou até o início das vacinas. O João Victor teve reação a vacina e teve febre muito alta, que não o deixou dormir a noite inteira. A única forma de conforto que ele aceitava era na nossa cama e... adivinhem, adivinhem??? Ele esta lá até hoje!
Confesso, por vezes adoro este contato. Sentir o cheirinho dele, estar com ele a um palmo de confortá-lo, sentir seu toque e balbucios... isso de fato, é maravilhoso.
Só que também tem o lado 'b' da história. Acordo diariamente exausta, com dores nas costas de tanto que fico torta na cama, tentando protegê-lo. As vezes ele se esparrama tanto,que quando acordo, ele esta dormindo inteiramente no meu travesseiro, com a cabeça encostada a minha e os pés da cabeça do papai,
Não quero teorizar a respeito mas sei que a cama compartilhada tem benefícios comprovados no desenvolvimento da criança e que um dia, e talvez seja em breve, o próprio João Victor vai querer dormir no quarto dele e vou sofrer com isso.
Vejo algumas mães com experiências bacanas na adaptação do filhote a própria cama... mas será que é o nosso momento? Saberei quando for?
Tou insegura, mas reconheço que preciso de uma boa noite de sono para ter disposição a longo do dia. Talvez o ideal seja começar a atentar agora que não estou trabalhando, pois ai terei disposição para as várias tentativas. Bem... como sou meio doida, vou pensar bastante neste final de semana e se eu decidir iniciar este projeto, começo na segunda, assim como a minha dieta.

4 comentários:

  1. Viviane,
    obrigada pelo carinho!
    bj
    Adriana (odiariodabarriguinha

    ResponderExcluir
  2. Já postei um comentário, mas parece que não saiu.

    Sem conspirar, já imaginou no dia que ele dormir FORA de casa? rsrsrs

    Um bjo bem grandão p/ vcs.

    Saudades.

    ResponderExcluir
  3. O Ciro sempre curtiu muito seu berco, mas recentemente, por conta da chegada do Marcel,tivemos que passa-lo para a cama. O que fiz foi torna-la irresistivel para o pequeno. Comprei roupas de cama com seus temas preferidos, muitos travesseiros divertidos e ele adorou.
    Nos primeiros dias ate estava disposta a dormir na caminha com ele para facilitar a adaptacao.
    Espero que a dica ajude.
    Beijos.
    Talita
    www.sonhodetalita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Vivi, vim através do comentário do blog da Kira!

    Quero te dizer que tenho a certeza que vc é a melhor mãe que o João poderia ter. E não é porque vc trabalha, dedica-se à uma coisa sua, à um tempo seu, que deixaria de ser.

    Impossível fazer uma criança feliz sendo uma mãe infeliz!

    Beijos!

    ResponderExcluir